Como passar em concursos públicos - atenção, uma história triste | webcid
Utilizamos cookies neste website para personalizar conteúdos e anúncios com o objetivo de fornecer recursos de mídia social e análise de tráfego. As informações de uso do nosso site são compartilhadas com parceiros de mídia social, publicidade e análise. Só utilize este website se concordar com nossos Termos de Uso e Política de Privacidade além das políticas para os serviços de terceiros utilizados neste website.
webcid.com.br

Como passar em concursos públicos

Quem já passou em concursos públicos fala como conseguiu ser aprovado.

 


Atenção, uma triste história

Marcos fez inscrição em um concurso em um importante órgão federal, órgão ainda conhecido como Cefet, apesar de não mais ter esse nome. Marcos gostaria de ocupar o cargo de professor na área de redes de computadores, mas o edital exigia pós graduação, o que Marcos não tinha. Por ser um ógão em sua própria cidade, Marcos mal esperou abrir as inscrições para fazer a sua. Ele estava acostumado fazer prova em outras cidades, gastando com transporte, alimentação fora de casa, chegando cansado para fazer a prova e todas desvantagens de quem faz uma prova fora do seu domicílio. Dessa vez era diferente, a prova certamente seria em sua própria cidade e o salário, ao contrário de muitos outros concursos que Marcos já prestou, era bem melhor e para trabalhar em sua própria cidade. Só para se ter uma idéia, seu salário seria multiplicado por quase três vezer e para fazer o que ele gosta, ensinar. Ver alguém aprender é para ele algo muito facinante, talvez por ter tido essa experiência muito cedo. Marcos iniciou-se no magistério aos doze anos de idade, isso mesmo, doze anos, naquele tempo menor podia trabalhar inclusive em órgãos públicos. Seu primeiro contato com a arte de ensinar foi em uma escola municipal, quando uma professora ficou doente e Marcos substituiu-a.

Bem, deixando nossa digressão vamos voltar à história do concurso que Marcos estava querendo muito fazer. O edital teve algumas alterações e uma delas foi a de que ele poderia fazer a prova para dar aulas de redes, mas ele ficou pensando se mudaria ou não sua inscrição. Ficou pensando que na inscrição feita de imediato poderia estar sua sorte, afinal ele quer melhorar seu salário há algum tempo. O tempo passou e ele não mudou. Diferente de outros concursos que Marcos fez a inscrição nos últimos dias e algumas vezes no último dia. Aquele concurso era diferente, Marcos não queria que acontecesse como já aconteceu com ele de perder o período de inscrição. Marcos é muito desatento e isso tem dado a ele algum tipo de prejuízo, como o supra citado.

O tempo foi passando e numa certa terça-feira Marcos decidiu pesquisar em qual dia seria sua prova. Marcos além de desatento também não lê o edital nem estuda. Para sua triste surpresa a prova havia sido no domingo anterior, dois dias antes de Marcos pesquisar o dia da prova. No edital inicial não havia o dia da prova, mas foram feitas alterações das quais uma delas era não exigir pós-graduação em redes e outra era estabelecer o dia da prova. Imagine só a tristeza de Marcos: fez a inscrição logo no início para não esquecer, depois não mudou nem fez outra inscrição para a área que ele preferia, perdeu o dia da prova. Depois Marcos pesquisou e descobriu que apenas quatro pessoas fizeram inscrição para dar aulas de redes, desses quatro um não compareceu no dia da prova, dos três que compareceram apenas um foi aprovado com cinquenta e dois pontos. Marcos avaliou que, com base em outras provas feitas recentemente para redes e no nível de dificuldade da prova, ele conseguiria uns sesssenta e seis pontos. A vaga poderia ser dele.

Essa é a triste história de Marcos que, para quem já leu os outros textos, sabem que esse não é Marcos, mas sim eu. Achei mais fácil criar um personagem para escrever esse texto porquê é muito triste ficar escrevendo que eu fiz uma coisa dessas. Ainda bem que tenho um consolo, só não vou expô-lo aqui.

Conclusões:

  1. Seja atento do início ao fim do processo do concurso, acompanhe dia a dia o que está acontecendo;
  2. Não é necessário ser o primeiro a fazer a inscrição, mas não esqueça da data do encerramento para não perder a oportunidade;
  3. Tem um dito popular que diz que não devemos querer demais uma coisa e isso não superstição. Veja o meu caso, não quero dizer que isso dá azar, mas que a frustação é bem maior;
  4. Que isso sirva de lição para mim e para você que acabou de ler.

 

Olegário Costa

 









© 2006 - 2018; webcid - Termos de Uso e Política de Privacidade